Mioma no útero: o que é, quais os sintomas e tratamentos?

Muitas mulheres procuram o ginecologista assustadas com o resultado da ultrassonografia que descreve a presença de um provável mioma no útero. Para esclarecer as suas dúvidas, a Dra. Ana Paula Sanaiote Portella (CRM 129.044), ginecologista da Clínica Mitera, explica o que são os miomas, quais os sintomas e qual o tratamento.


Clínica Mitera - Mioma no útero

O que é o mioma no útero?

O mioma é um nódulo constituído do tecido muscular uterino que pode estar localizado dentro da cavidade do útero (submucoso), como se fosse um pedículo, dentro da parede do útero (intramuscular) ou do lado externo do útero (subseroso).


“Estima-se que 80% das mulheres em idade fértil tenham miomas. A idade em que eles mais surgem é entre os 30 e 50 anos e, na maioria dos casos, são pequenos e assintomáticos. O que motiva o aparecimento desse nódulo não está bem estabelecido, mas, ao que parece, são de origem genética”, esclarece Dra. Ana Paula.


Existem sintomas do mioma no útero?

Os sintomas, quando surgem, normalmente estão relacionados ao fluxo menstrual intenso, aumento de cólicas.


Quando os miomas são muito grandes, podem dar sintomas de compressão de órgãos (bexiga ou intestino). Dependendo da localização, o mioma poderá gerar anemia, dificuldade em engravidar ou maior risco de aborto.


Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico é feito por meio da ultrassonografia que consegue ver sua posição e tamanho. Por vezes, o uso da ressonância de pelve será necessário para avaliação desses nódulos.


Como é o tratamento do mioma?

Dra. Ana Paula explica que a maioria dos miomas não necessitam de nenhum tratamento. “Dependendo do que o ultrassom mostrar, o seu ginecologista poderá orientá-la a retirar cirurgicamente ou fazer um tratamento clínico. Especialmente se houver o risco de atrapalhar em uma gravidez ou se estiver causando sintomas importantes”.


Portanto, se você descobriu agora um mioma no útero, não se desespere. É uma doença benigna que pode ser discutida com tranquilidade com seu ginecologista e, na maioria dos casos, apenas acompanhada por exames ao longo dos anos.