7 dúvidas sobre amamentação

Ao contrário do que muitos pensam, a amamentação não é instintiva. É importante estudar sobre amamentação e ter boas orientações de profissionais capacitados.

Esclarecemos abaixo algumas das dúvidas mais frequentes em amamentação.


Clínica Mitera - Amamentação

Quando oferecer a mama?

Para saber quando é a hora que o seu filho está com fome, observe-o! Ele vai começar movimentando a cabeça de um lado para outro. Conforme fica com mais fome, passa a mexer mais os braços, colocar a mão na boca e buscar o peito quando estiver no seu colo.


Ao oferecer a mama, não contabilize o tempo da mamada, deixe que ele se alimente até se sentir satisfeito!


Não se prenda também à quantidade de vezes que ele irá mamar no dia. Cada criança tem um ritmo e uma frequência!


Quando sei que o bebê está satisfeito?

Saber se o seu filho já mamou o suficiente também é um exercício de observação! Quando ele estiver satisfeito, ele estará mais calmo e relaxado.


Como fazer a pega certa na amamentação?

Saber oferecer a mama ao seu filho é importante para que vocês fiquem confortáveis e para minimizar possíveis problemas nas mamas.


Existem várias formas de se oferecer a mama. Na forma tradicional (a mais comum), sente-se de forma confortável e posicione o braço que vai segurar o bebê a 90°. O bebê precisa estar com o corpo alinhado, coluna reta, com a barriguinha com a sua barriga e de frente para você.


Para fazer com que ele abra a boquinha, segure a mama com a mão em formato de “c” no mesmo sentido da boca do bebê. Toque, com o mamilo, a parte superior e inferior dos lábios do bebê para estimular o reflexo de abrir a boca. Caso ele mude de posição, gire o “c”.


É normal ter fissuras e rachaduras na mama?

Não é normal que fissuras, rachaduras e dores acompanhem a fase de amamentação. Apesar de não serem normais, são muito comuns e muitas vezes acabam levando ao desmame precoce.

A causa das feridas e das rachaduras pode estar relacionada à técnica inadequada para amamentação, alteração no freio lingual e tensão mandibular do bebê, ingurgitamento mamário (enchimento excessivo das mamas com leite), entre outros fatores.


Aqui, na Clínica Mitera, indicamos consultoras de amamentação no pós-parto para ajudar nesse período de aprendizado e diminuir os riscos de lesões na amamentação.


Embora não haja evidências fortes suficientes, também podem ser indicadas substâncias cicatrizantes que podem ajudar a melhorar a dor e acelerar o processo de cicatrização das feridas. Mas lembre-se: a orientação do médico nesses casos é fundamental.


Como evitar a mastite durante a amamentação?

A mastite puerperal é uma infecção bacteriana na glândula mamária que acontece no período da amamentação.


Quando existe a infecção, a pessoa que amamenta pode apresentar dor, inchaço, vermelhidão e até alterações na pele da mama e pus. Esses sinais podem ser acompanhados de febre alta, calafrios, sensibilidade ao toque, mal-estar, taquicardia, cansaço extremo, estresse e ansiedade.


Esteja atenta aos sinais, pois a mastite pode evoluir de forma rápida e chegar até mesmo a precisar de internação ou cirurgia.


É possível evitar a mastite seguindo algumas orientações:


Evite estabelecer um horário para a amamentação. É importante que você respeite a demanda do seu filho.


Se a mama continuar cheia após a mamada, massageie-a e retire apenas a quantidade suficiente para aliviar o ingurgitamento.


Antes de iniciar a mamada, massageie a região da aréola e o mamilo para ficar mais macio e o bebê conseguir fazer a pega adequada.


Ofereça ambas as mamas.


Se você suspeitar que está com mastite, procure um médico.


Como fazer a doação de leite?

As mulheres que produzem leite além da quantidade que o filho consome podem doá-lo. O leite pode auxiliar bebês prematuros, internados em UTI neonatal, com patologias e bebês cujas mães não conseguem/podem amamentar.


A doação ao Banco de Leite Humano é bastante parecida com a do Banco de Sangue, visto que possui uma triagem com exames e atendimento para checar se a mulher está apta a doar. Nesse local, também fornecem orientação de como armazenar e garantem que não falte leite ao bebê que está sendo amamentado.


O leite deve ser armazenado em um frasco de vidro com tampa plástica, sem rótulo e sem o papelão da tampa.


Esse frasco precisa ser lavado com água e sabão e esterilizado em uma panela com água que o cubra inteiramente. Deixe a água ferver por 15 minutos e coloque o frasco para secar de boca para baixo em um pano limpo. Não é necessário enxugar.


Na hora de retirar o leite, tenha o cuidado de prender os cabelos com touca ou lenço, usar uma máscara para cobrir nariz e boca e lave as mãos e os braços até os cotovelos com água e sabão. Limpe também a mama apenas com água.


Em seguida, massageie a mama com a mão espalmada e em movimentos circulares, começando pela aréola. Pegue a borda da aréola com o dedo polegar e indicador e empurre a mama para trás. Comprima suavemente um dedo contra o outro e faça esse movimento repetidas vezes. Ignore as primeiras gotas e, depois, comece a coletar no frasco.


O leite precisa estar dois dedos abaixo da abertura do frasco para que você possa armazená-lo no congelador ou freezer até 15 dias.


Como lidar com a carreira e com a amamentação?

Para a grande maioria das mulheres, deixar o mercado de trabalho após se tornar mãe não é uma alternativa. A maioria das empresas concede apenas quatro meses de licença-maternidade (mesmo tendo a orientação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde que se amamente de forma exclusiva até os seis meses). Portanto, é preciso certo planejamento para conseguir conciliar trabalho e amamentação até os seis meses de idade do filho.


Segundo a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), a lactante tem direito a duas pausas de meia-hora para amamentar ou sair uma hora antes do trabalho até o filho completar seis meses.


Para guardar leite e garantir a continuação do aleitamento com leite materno exclusivo, é importante seguir algumas dicas:


Retire o leite 15 dias antes do retorno ao trabalho para garantir o estoque de leite.


Guarde o leite em um vidro com tampa e congele por 15 dias ou deixe na geladeira por 12 horas.


Na hora de dar o leite, evite a mamadeira e ofereça com o copinho ou a colher dosadora.


Se você tirar o leite durante o expediente, pode oferecê-lo no mesmo dia, no dia seguinte ou congelá-lo.


Descongele o leite no banho-maria.


Se o bebê não tomar todo o leite, descarte-o!



Gostou de esclarecer suas dúvidas sobre amamentação? Você encontra mais informações sobre a saúde da mulher no nosso Instagram e aqui no nosso blog!